quarta-feira, 14 de março de 2012

Deixar os bebés a chorar até adormecer, ou não?

É uma questão bastante polémica. Há quem ache ser o melhor método para eles aprenderem a dormir sem ajuda, e há quem ache que o contacto físico, sobretudo nos primeiros meses de vida do bebé, é que é importante.

A minha opinião é esta: cada mãe - se equilibrada mentalmente, como é óbvio - saberá o que é melhor para o seu filho. E, como tal, acho que nenhuma mãe deixará o seu próprio filho chorar horas a fio até que se cale de exaustão para aprender a dormir por si.

Defendo que os bebés, sobretudo os de tenra idade, só beneficiam com o contacto físico. Para mim, contacto físico não é mimo: é uma necessidade. É uma forma de comunicação poderosa que estreita laços e reforça afectos. E o choro é a forma que os nossos filhos têm de comunicar quando ainda não possuem outras ferramentas para o fazer. Ignorar o choro de um bebé, especialmente de pouco tempo, julgando erradamente que "ele já se vai calar" pode vir a revelar-se prejudicial. Tudo o que é positivo ou negativo fica registado no nosso cérebro e pode vir a condicionar os nossos comportamentos em adultos. Creio fortemente nisto.

Eu sou co-sleeper assumida, porque não só amamento como acho que tem trazido benefícios ao meu filho. A seu tempo, tal como aconteceu com a irmã - que hoje dorme perfeitamente na sua cama e a noite toda e até fora de casa, quando vai em actividades com o escoteiral -, passará para a sua cama, para o seu espaço.

É evidente que há noites mais agitadas, outras menos, há alturas em que estamos mais cansados, mas...até agora tem resultado connosco, até mesmo na nossa vida como casal, se é que me entendem (imaginação, criatividade...que acabam por apimentar as coisas ;D).

Cada criança tem o seu ritmo, e há que respeitá-lo.

Muitas pessoas acham que eu já deveria ter acabado com a amamentação. Mas, uma vez mais, acho que se trata de uma opção pessoal. Se ambos encontramos gratificação nisso, não vejo por que não continuar. Ele próprio fará o desmame (evidente, já passei a fase do oferecer o peito. Agora, a bola está do lado dele...), pois da minha parte o desafio está lançado. Quando ele estiver preparado, fá-lo-á, tal como aconteceu com a Sara.

Concordo que todas as crianças são diferentes, mas se a minha experiência anterior correu bem, não vejo a razão de não repetir. Claro que se achar que vou num sentido que não está a correr bem, reequaciono as minhas opções.

Sempre a aprender.

5 comentários:

  1. O meu piolho dormia no berço no nosso quarto. Aos 6 meses foi para o quarto dele porque já dormia a noite toda (oh tempo volta para trás!). Houve uma reviravolta e deixou de dormir as noites seguidas. Invariavelmente, e porque preciso de dormir deito-me com ele noutro quarto. Já me disseram que faço mal etc e tal... mas sou INCAPAZ de o deixar chorar 5 minutos que sejam...se faço bem ou mal...é o que a minha consciência manda!

    ResponderEliminar
  2. Pequenino, pequenino não concordo que se deixe chorar.
    Agora com a idade da minha (22 meses) a conversa já é outra.
    Por vezes acontece a meio da noite chorar um bocado e se não formos lá ela adormece por si (acho que não chega a acordar totalmente).
    Antes íamos de imediato e começámos a perceber que só adormecia com a nossa ajuda e mal de lá saíamos voltava a chorar (andámos imensas noites nisto, era torturante).
    Ora isso não é bom e ela não pode estar dependente de nós para dormir. Pode trazer consequências no futuro e não se adaptar a dormir na nossa ausência.

    Já começamos a desconfiar também na possibilidade de ela ser sonâmbula e chamar-nos a dormir.
    O pai e a avó foram sonâmbulos e poderá acontecer com ela também.

    Outra situação, são os terrores nocturnos que quando acontecem, eles continuam a dormir e não respondem aos nossos mimos como forma de os acalmar...por muito que os chamemos.

    Enfim, mas é como dizes...cada criança tem o seu ritmo, mas cabe-nos a nós, pais, orientá-los o mais possível para a independência. Isto para bem de todos.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  4. Pois eu concordo que cada caso é um caso! Quando eu nasci, a minha avó passou 3 noites em claro, porque sempre que deitava a menina no berço... ela chorava. Aí, a minha mãe, preocupada, foi ao médico que disse para deixar a menina chorar e nada de andar com ela ao colo toda a noite a embalá-la. Desconfio que se não fosse isso, ainda hoje lá andaria a dormir a noite inteirinha ao colo da minha vovó... :)))

    ResponderEliminar